Tel: (21) 2557-3542     |     Webmail     |     Webmail Pastores

You Tube

Assine nossa newsletter

Últimas notícias

Vídeo em destaque

O 42º Concílio Regional, num processo eleitoral inédito, depois de  21 escrutínios, elegeu a sua lista tríplice ao Concílio Geral. Estão sendo indicados para o episcopado da Igreja Metodista pelo Concílio Regional da Primeira Região Eclesiástica os seguintes nomes: Paulo Rangel ( 295 votos), Hélio de Oliveira (286 votos) e Ronan Boechat de Amorim (286 votos)

Após o jantar, o sistema de votação voltou a ser pelo modo eletrônico. As eleições, que ocuparam boa parte do tempo da programação nesta sexta-feira, foi encerrada por volta de 23 horas. Dez dos 37 candidatos declinaram.

 

No primeiro dia do 42º Concílio Regional da Igreja Metodista da 1ª RE, quinta-feira (19), realizado na Escola de Missões, em Teresópolis (RJ), bispo Paulo Lockman trouxe uma mensagem, intitulada “O poder do Evangelho”, com base em Romanos 1.8-17. Em sua preleção, ele destacou o trecho que diz: “Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê,
primeiro do judeu e também do grego; visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé,
como está escrito:  O justo viverá por fé” (Rm 1.16-17).

Ao discorrer sobre o tema, o bispo fez o seguinte  questionamento: “Diante do Evangelho, do que devemos nos envergonhar?” Entre as situações apontadas por ele, estava a situação de corrupção vivida pelo país. “Sinto-me constrangido quando viajo a serviço do Concílio Mundial e tenho que explicar esse momento por que passa nossa nação”, comenta.

No entanto, ele deixou claro que não são apenas os políticos que se vêem envolvidos em atitudes ilegais, ao fazer menção aos cidadãos comuns que também praticam atos não permitidos por lei. “Devemos nos envergonhar também de criticarmos se nós mesmos sonegamos impostos, furamos filas e andamos no acostamento, entre outras práticas erradas”.

Ele, porém, valeu-se dessa analise para conduzir os presentes à orientação dada pelo apóstolo Paulo aos romanos (Rm 1.16): “Não devemos nos envergonhar do Evangelho”. Bispo Lockmann destacou que todas as coisas erradas que acontecem no país, com a citada corrupção, não têm nada a ver com as Boas Novas de Cristo, que é poder do Altíssimo par a salvação de todo aquele que crê.

Segundo ele, a declaração de Paulo é fruto de uma experiência anterior. O apóstolo chegou a essa conclusão porque, antes de se converter, viu Estevão ser apedrejado, e o ouviu dizer: "Eis que vejo os céus abertos e o Filho do Homem em pé adestra de Deus", e em seguida: "Senhor Jesus recebe o meu Espírito..." , e finalmente: "..Senhor não lhes imputes este pecado.." (At 7.54-60). “Se hoje ainda ficamos impactados, imagine como foi para Paulo”, finaliza.

Veja a nossa Galeria de Fotos

 

crescimento da 1re

Ao apresentar relatório do último biênio, o bispo Paulo Lockmann, fazendo menção à caminhada da Igreja da Primeira Região, lembrou que ela foi marcada por milagres divinos, mesmo em meio à crise que assola o mundo. “Servimos a um Deus todo-poderoso que nunca nos abandona. Ele é a razão de todas as bênçãos alcançadas nesses anos de episcopado”, diz o bispo, reconhecendo que seus erros serviram para evidenciar a graça divina na vida dele, citando 2 Coríntios 12.9: “Então ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo.”

Dentre as conquistas da Igreja Metodista no Estado do Rio de Janeiro, o bispo cita a Escola de Missões e a multiplicação da 1ª Região Eclesiástica, que deu origem à 7ª RE. No entanto, atribui esse resultado ao trabalho desenvolvido pelas pessoas e os segmentos que compõem a Igreja no Estado do Rio de Janeiro, fazendo referência a departamento, secretarias, ministérios e colaboradores que fazem parte da Sede Regional.

Dando continuidade, bispo Lockmann traz um momento missionário definindo a Igreja como uma “comunidade de discípulos e discípulas”. Na sequência, ao falar do propósito da igreja, faz menção à avaliação dos trabalhos do biênio 2014/2015 empreendida em setembro e antecipa que já começou a fazer algumas adaptações para o próximo biênio (2016-2017). “Tínhamos muitos planos nesse biênio. Certamente, conseguimos realizar boa parte deles. Devemos, no entanto, perguntar-nos sobre a eficácia dos resultados trazidos para a expansão do Reino de Deus, ao fazer discípulos e discípulas, que, de fato, é o alvo da missão da Igreja”, reflete.

 

Atividades pastorais

Sobre as atividades pastorais desenvolvidas no biênio de 2014/2015, bispo destaca que na Sede Regional e em outros eventos, atendeu 360 pastores e pastoras. Já por meio das redes sociais, emails e WhatsApp, foram mais de  600 mensagens orando, orientando e aconselhando. O bispo reuniu também grupos de pastoreio de pastores/as por cinco vezes no biênio. Também participou de Cafés da Manhã, onde  ministrou a Palavra, e compartilharam preocupações e apoios. Foram realizados quatro Ministeriais no biênio, já com a reunião independente da 1ª RE e 7ª RE, dando inicio ao processo de consolidação da multiplicação da 1ª Região Eclesiástica.

Como ação pastoral, o bispo escreveu ao todo 23 cartas pastorais até novembro. Nelas, ele tratou das questões que afligem o mundo, o país, a Igreja e seu ministério pastoral. E junto a estas enviou notas pastorais voltadas a questões pontuais da vida do pastor/a e da Igreja. Ainda no campo da pastoral, o bispo fez diversas visitas a colegas que viviam momentos difíceis. Nesta tarefa, contou com os superintendentes missionários Pr. Lúcio de Sant'Anna Ferreira e Pr. Carlos Roberto de Oliveira Queiroz.

Neste período, Lockmann se reuniu o Ministério de Apoio Episcopal, na maioria das vezes em retiros de dois dias, onde estudaram a Palavra e pensaram a igreja como uma comunidade discipuladora.  “Discutimos problemas pastorais de toda ordem. Enfrentamos juntos os mais variados problemas da família pastoral. Choramos juntos os problemas que redundaram na saída de alguns pastores e pastoras, mesmo que errados e, em nossa opinião, fora da visão de um ministério Metodista. Consideramos que foram perdas pelos prejuízos para Igreja e a missão”

Na sua caminhada pastoral e missionária, Lockmann visitou ao todo 107 igrejas e ou Campos Missionários. Tanto por programas locais como distritais ou regionais, como de federações e ministérios. Nessas visitas, ele constatou que obra tem dado frutos. “Em muitos lugares, havia pessoas assistindo o culto pela janela, dado à falta de espaço para acolher os convertidos. Isto gerou um bom problema. Temos um campo de obras em todos os distritos, vários templos com mais de 500 lugares estão sendo construídos, e outros tantos com mais de 1.000”.

Embora tenha dando uma visão geral sobre a Primeira Região, o bispo deixou para cada segmento a missão de expor, em sua participação, em detalhes os projetos por ele desenvolvidos. Ele expressou uma sensação de dever cumprido ao final do relatório. No entanto, tendo a certeza de que Deus ainda tem mais para fazer. “Que possamos sim crescer e ganhar 1 milhão de vida no Estado do Rio de Janeiro”, diz reafirmando a meta missionária estabelecida da a Primeira Região.

Veja a Nossa Galeria de Fotos

 

Neste sábado (21), assim como no dia anterior, as atividades do Concílio Regional tiveram início com uma reunião devocional, desta vez, sob a responsabilidade do Departamento de Expansão Missionária. Com muitos cânticos de louvor e adoração, a reunião contou ainda com um momento de oração pelo perdão dos pecados, além de uma reflexão bíblica com base em Lucas 17.11-19, passagem que fala sobre os dez leprosos, trazida pelo Pr. Ronan Boechat, secretário executivo regional de Expansão Missionária. "Evangelizar é levar as pessoas a terem um encontro profundo e transformador com o Senhor", afirmou. Como parte da devocional, o coral da Pastoral da terceira Idade da Região também apresentou duas canções. 

Plenária

Ainda na parte da manhã, houve a apresentação da Rede Metodista de Educação pelo novo diretor geral, Robson Aguiar, acompanhado do diretor financeiro, Ricardo Rocha de Farias. Na oportunidade, informaram sobre algumas ações que estão sendo realizadas, como a montagem de uma nova equipe de liderança, práticas modernas de administração e equilíbrio financeiro, entre outras. Um dos momentos marcantes, no entanto, foi quando o diretor anunciou que o Instituo Metodista Bennett não será mais vendido.

A área nacional foi representada pela pastora Joana D'Arc Meireles, secretaria executiva para a Vida e Missão. Nessa participação, foi exibido também vídeo mostrando os vários segmentos de ação e as atividades da igreja em todo o território nacional. Pastora Joana foi enfática ao falar da valorização do material produzido pela Metodista, além de seus trabalhos e instituições. 

Outra área nacional representada foi o Departamento de Música Nacional, coordenado pelo pastor  Edson Mudesto. Entre os projetos para 2016, está a 2ª edição do Seminário Nacional de Música e Arte da Igreja Metodista. Agendado para maio, na Escola de Missões, o evento contará com presenças internacionais. Outra iniciativa é o lançamento do livro "Discipulando Adoradores", voltado para o discipulado de músicos.

Relatórios

Alguns relatórios foram apresentados neste dia. O da Coordenação do Seminário Cesar Dacorso Filho ficou sob a responsabilidade do coordenador da instituição, pastor Levy Bastos. Ele falou sobre os resultados dos trabalhos do último biênio e parte do anterior, quando recomeçaram as atividades do seminário. Ele destacou o fato de, agora funcionando novamente nas dependências do Bennett, não ser mais necessário pagar aluguel. Trata-se de uma vitória já mencionada obtida por meio da atual direção da Rede Metodista de Educação. Já o relatório do Projeto Sombra e Água Fresca foi apresentado pela agente nacional Keila Guimarães.

A Junta de Missões Globais marcou sua presença por meio do irmão Jorge Luis Ferreira Domingues. Há 20 anos, junto com sua esposa e filho, está nos Estados Unidos engajados obra missionária. Uma das iniciativas da Junta é abrir um escritório regional na América Latina para fortalecer o trabalho e estreitar a cooperação com a Igreja Metodista no Brasil. Além disso, iniciar atividades junto a imigrantes em todo o mundo atentos a crise global com muita oração e atenção.

A Comissão Ministerial Regional teve o seu relatório apresentado pela pastora  Mary Sol Pinilla, que destacou suas principais atividades e citou os nomes dos 22 candidatos ao ingresso da Ordem Presbiteral, que foram apresentados ao plenário e se retiraram para que a votação acontecesse. Ao final, os eleitos foram recepcionados. Três nomes também foram aprovados para a Ordem Diaconal. A Comissão de Relações Ministeriais também apresentou seu relatório.

Programação de sexta-feira

 

Após reunião devocional, dirigido pelo Departamento de Educação Cristã, teve início a programação do dia. A secretária executiva do Departamento, Deise Marques, falou sobre a importância de ter em mente o que é bom, “pois o quem nos traz força e alegria é o Senhor”, disse. Em sua fala, ela ressaltou a importância da Escola Dominical e do envolvimento de todos na Educação Cristã e dos grupos societários na evangelização. "Venha junto compartilhar o Evangelho. Há espaço para todos nesta igreja que tem como dono o Senhor", disse destacando o tema trabalhado durante o biênio, “#vamosjuntos”.

 

Na ocasião, o bispo Lockmann separou um momento de oração intercessória, realizado pela pastora Ruth Kato, por motivos de doença, acidente de carro e assalto. Isso porque um pastor e um delegado tiveram o carro e as bagagens roubados ao pararem na estrada para ajudar um carro que envolveu em um acidente enquanto se dirigiam ao Concílio. Além disso, intercederam pelos atingidos por um atentado terrorista em Mali, próximo a uma localidade onde há uma obra missionária liderada pela pastora Leila Claudia.

Relatórios

A apresentação do relatório da Secretaria de Missões foi realizada pelo pastor Ronan Boechat (secretário executivo) e pastora Selma Antunes (coordenadora dos Voluntários em Missão). A leitura, no entanto, foi feita pela pastora Selma, que, ao final, agradeceu ao Senhor pela oportunidade em servi-lo e também ao bispo, ao pastor Ronan e à igreja por apoiá-la nessa caminhada missionária. Pastor Ronan, por sua vez, destacou as conquistas obtidas nesse segmento: "Hoje a Igreja está presente em todas as cidades do Estado do Rio de Janeiro. A última a ser alcançada foi Paraty. Com o alcance desse alvo, vamos em busca de uma igreja em cada bairro", comemorou.

O pastor Edvandro Machado Cavalcante, secretário Executivo de Ação Social, exibiu um vídeo e relatou as principais ações na sua área. Ao apresentar seu relatório de atividades, afirmou que "não existe a opção de não fazer ação social”. Ele ainda teceu vários comentários e explicações sobre as ações das pastorais, ministérios, coordenações e trabalhos gerais do segmento.

O bispo Paulo Lockmann aproveitou a ocasião e citou a importância do Dia da Consciência Negra. A irmã Maria da Fé, coordenadora da Pastoral de Combate ao Racismo, por sua vez, foi taxativa ao destacar que "racismo é pecado”.  Há 30  anos a Pastoral busca e enfatiza a necessidade da santificação e da conscientização de olhar o outro como irmão.Os últimos relatórios apresentados foram os do Ministério de Apoio Administrativo (MAAD) e Instituo Metodista de Formação Missionária (Imform/Escola de Missões).

 

O dia foi concluído com a apresentação da Comissão de Indicação, que levou ao plenário uma lista de candidatos aos cargos permanentes da igreja. Ela foi produzida com base nas sugestões vindas dos distritos. Os conciliares também puderam fazer indicações de outros nomes, após a indicação da comissão.

Na noite de hoje (21), o 42º Concílio Regional aprovou um manifesto de apoio a reeleição do bispo Paulo Lockmann, e um adendo para que ele volte como bispo da 1ª RE. Após a aprovação da proposta, o plenário, conduzido pelo bispo Roberto Alves, aplaudiu e orou pela vida e ministério de Lockmann.

Houve ainda, a apresentação do relatório da AIM. A secretária executiva da área, Rosemari Pfaffenzeller, começou sua fala agradecendo sua equipe de colaboradores a quem atribuiu o êxito de seu trabalho.

Em meio a louvores e adoração o ministério regional de música, abriu o culto da noite, que contou com a pregação do bispo Roberto Alves. A mensagem teve como texto base Marcos 10:35-45, sobre o pedido de Tiago e João para assentarem ao lado de Jesus, na glória. O bispo destacou que nossos valores são diferentes dos valores do mundo.

Para ele, em nossa caminhada, muitas vezes, pedimos algo em benefício próprio e quando dá errado, ficamos depressivos por não alcançarmos o sucesso esperado. “Temos que escolher qual o caminho queremos percorrer, se o da autopromoção, autobenefício, auto-exaltação ou os princípios de Jesus, que é ser servo de todos”, enfatizou.

Outro destaque do preletor foi para o fato de que devemos ter paciência com os que nos servem, pois Deus quando criou o homem, colocou-o como mordomo da natureza. “No caminho do discipulado não somos nada além do que servos”, declarou.

Ainda durante o culto, foi ordenado ao pastorado, o missionário Rogério Vanderley M. do Amaral, que atua no Peru. Em seguida, houve a celebração da Santa Ceia. Foram aprovados ainda dois manifestos. Um contra a corrupção, e outro contra o genocídio de crianças e adolescentes de origem negra.

 

tr?id=228531294253728&ev=PageView&noscript=1