Tel: (21) 2557-3542     |     Webmail     |     Webmail Pastores

You Tube

Assine nossa newsletter

Últimas notícias

Vídeo em destaque

 

Além da eleição episcopal, importantes propostas foram aprovadas durante conclave

A eleição dos novos bispos da Igreja Metodista foi um dos momentos mais esperados do 20º Concílio Geral, na Escola de Missões, em Teresópolis (RJ), que, este ano, foi acompanhado por milhares de pessoas ao vivo pela Internet. No entanto, além da votação conciliar, outras decisões relevantes tomadas durante o conclave também irão acompanhar o ministério dos novos integrantes do Colégio Episcopal (oito bispos e duas bispas) que assumirão o governo da Igreja a partir de 2017.

 

Eleição episcopal e ministério pastoral

Um das propostas aprovadas diz respeito ao processo de eleiçao episcopal. A presidência do Colégio Episcopal designou um grupo para apresentar duas propostas. Uma estabeleceu que, a partir do próximo Concílio Geral, os candidatos ao episcopado deverão ter pelo menos 10 anos de presbiterado. Outra defineu que os bispos deverão ser submetidos à itinerância após dois períodos eclesiásticos consecutivos na mesma Região.

Com relação ao ministério pastoral, uma proposta acolhida pelos conciliares foi a inclusão nos Cânones da Igreja (2017-2021) da expressão "residir à conta da igreja local, órgão ou instituição, na sua respectiva área geográfica, quando nomeado com tempo integral". Na verdade, essa regra já vigorava para os presbíteros e teoricamente era aplicada aos pastores. A plenária apenas oficializou a responsabilidade da igreja local com moradia de pastores e pastoras. Outra proposta aprovada diz respeito à nomeação pastoral, que deverá acontecer até 30 de novembro de cada ano, a fim de que haja tempo hábil para mudança e completa instalação da família pastoral. Também foi aceita a proposição que defendeu a designação de evangelistas para a igreja local.

Outra discussão importante foi referente à Coordenação Local de Ação Missionária (CLAM). A ideia é de que a CLAM tenha autonomia para confirmar membros desligados. Antes era necessário que o Concílio local fosse comunicado pela Coordenação e o nome da pessoa publicado no veículo oficial da Igreja. Apesar de o processo agora ter sido simplificado, o bispo Adonias Pereira do Lago explicou que os pastores devem ter clareza do processo de exclusão, pois há casos em que é necessário o cuidado pastoral direcionado.

Sobre Estudos Teológicos, a proposta de recomendação à Faculdade de Teologia (Fateo) e ingresso no ministério pastoral da Igreja Metodista também foi aprovada. A proposta de alteração de parte do artigo canônico que trata do sustento pastoral também foi aprovada. Outro tema interessante aprovado foi Licença Paternidade e Maternidade, que será concedida pelo bispo presidente para um período de acordo com legislação vigente do país, contado a partir da quarta semana anterior à data prevista para o parto, sem prejuízo do subsídio.

 

Aposentadoria pastoral

A aposentadoria pastoral foi também um dos temas mais abordados em planária. Na Igreja Metodista no Brasil, pastores e bispos se aposentavam compulsoriamente aos 70 anos, conforme havia sido aprovado no 19º Concílio Geral, realizado em Brasília, em 2011. A proposta de alteração da aposentaria compulsória para 75 anos apresentada durante o 20ºCG, no entanto, foi rejeitada. Já a proposição que defendia a idade-limite de 70 anos foi aceita.

Nesse caso, o presbítero deixará de receber nomeação pastoral. Entretanto, fica-lhe ressalvado o direito de cumprir o mandato a que foi designado pelo bispo. O clérigo eleito para o episcopado tem a garantia de terminar seu mandato. Com 65 anos, o bispo receberá o acompanhamento de um presbítero como seu mentor nomeado por ele, com a finalidade de ajudá-lo a humanizar seu afastamento do ministério pastoral com nomeação episcopal, a pedido ou por idade. O Concílio Regional poderá também conceder o título de pastor emérito ao membro clérigo com nomeação episcopal que se aposentar a pedido ou por idade.

 

Inclusão de pessoas com deficiência

A proposta defendendo que a Igreja trabalhe voltada para pessoas com alguma deficiência física teve aprovação unânime e recebeu o apoio de todas as delegações. De acordo com o pastor Enoque Rodrigo de Oliveira Leite (3ªRE), autor da proposição, que é deficiente visual, o objetivo "é suprir a lacuna missionária entre pessoas com deficiência e garantir a acolhida adequada e as condições específicas para o pleno exercício da piedade, bem como sua plena participação cúltica e acessibilidade a templos e dependências".

A proposta ainda contempla que sejam criados e implantados cursos de capacitação para aqueles que desejam trabalhar com pessoas especiais ou outras ferramentas que viabilizem a inserção desses grupos no culto e na dinâmica da Igreja Metodista. A ideia é que a iniciativa seja alavancada pelas regiões e seus respectivos distritos a fim de alcançar até no próximo quinquênio o máximo de igrejas possível. Além disso, pretende viabilizar a acessibilidade ao curso de Libras e demais especificidades no nível nacional, regional, distrital e local.

 

Nova configuração da REMNE

Na 20ªCG, foi aprovada a nova configuração da Região Missionária do Nordeste (REMNE). A proposta já havia sido encaminhada ao 19º Concílio Geral, em 2011, propondo a indenpendência da Região. O pastor Dilson Soares Dias foi a voz da REMNE para os encaminhamentos da proposição. A REMNE será composta pelos seguintes estados que já são financeiramente sustentáveis: Bahia, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

Outro dado apresentado pelo pastor Dilson é que 53% da membresia da Região está em grupo de discipulado. Seu Campo Missionário será composto pelos estados que ainda precisam da ajuda: Alagoas, Ceará e Maranhão. No entanto, à medida que forem conseguindo autonomia, deverão passar a compor a Região Missionária do Nordeste. Na nova configuração, 100% dos recursos que antes eram enviados para ação missionária do nordeste do país continuam sendo mandados pelas Regiões Eclesiásticas para a REMNE. A Sede Nacional, entretanto, deixará de enviar 50% das doações para a Região direcionando o valor para o avanço do novo Campo Missionário.

 

Fonte Expositor Cristão

tr?id=228531294253728&ev=PageView&noscript=1